Nosso "zap-zap":

Estamos esperando seu contato!!!
61 981986871

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Somos todas "primas"... ou "gêmeas"????


Fofas, fofíssimas... do meu coração,

Fazendo pesquisas, olhando a mulherada na rua... fico me perguntando se somos todas "primas", ou parentes muito próximas, ou até mesmo gêmeas!!!
TÁ TODO MUNDO IGUAL!!!
CADÊ A NOSSA IDENTIDADE????

Dando umas voltinhas no IGUATEMI aqui de Sampa, vejo um grupinho de 4 meninas lindas, umas loiras outras quase... todas com cabelos longos e lisos, todas usavam jeans e toooodas estavam com uma bolsa Louis Vuitton. Elas eram tão iguais q num descuido até os namorados se enganavam...
Putz... Isso é um horror!!!!
É muito legal vestir "o q tá na moda", mas sair por aí parecendo uma vitrine das últimas tendências é o fim!!!
E me expliquem essa fixação nessas bolsas-marrons-básicas horrorosas da LV???? ( ELAS SÃO MUITO FEIAS, SIM!!!) 
Se é pra ter um ítem de luxo, pra ostentar poder... tem muita coisa muiiiiiito mais bonita e mais cara tb!
O bacana é misturar, criar, ser diferente... mostrar um pouco de vc no q tá vestindo....
E pra isso não precisa ter rios de dinheiro, basta bom gosto e personalidade!!!!
Tem o padrão "OSCAR FREIRE"...  TUDO MUITO VOGUE!!!
O "PIRIGUETCHY", q é universal em todas as cidades, independente do clima... pq como vcs já devem ter notado... elas não sentem frio!!!! VAMOS COBRIR O MÍNIMO E MOSTRAR O MÁXIMO...
E o tipo, eu estou usando tuuuuuuuuudo q está "se usando"!!!

Isso é pra refletir... pensar...

A gente gosta de moda, queremos, podemos e devemos usar as últimas tendências... mas, vamos colocar um pouquinho da gente nisso tudo... ver o q nos favorece...
Sentir o q  combina com o nosso clima e com a nossa personalidade!!!!
Tem meninas q não se vestem, se fantasiam de alguma coisa q não são elas...

Pronto... desabafei!!!!...rs..

Bjs
IA

Um comentário:

  1. Ivone, adorei! É por ser divertido e in-te-li-gen-te que eu gosto de ler teu blog. Concordo plenamente contigo e ler tuas ideias faz-me lembrar do que eu mesma pensava há uma semana quando gastei três tardes "batendo perna" em busca de uma roupa para um evento importante e formal ao qual eu ia assistir. Não sou muito consumista e a verdade é que sou clássica, tradicional e simples no vestir. Embora admire o mundo da moda, devo dizer que não sou assídua frequentadora de lojas, boutiques, magazines, etc. Talvez aí esteja a explicação para meu horror ao concluir, no final da minha cansativa busca, que a maioria das lojas "guays" (gíria espanhola para "legal", "bacana", "maravilhoso") que há por aqui, tão adoradas por jovens e não tão jovens, estão cheias de "trapos" baratos às vezes, mas nem sempre. Comecei a pensar que, neste mundo globalizado e altamente consumista, será cada vez mais difícil encontrar o modo de vestir-se diferenciadamente e bem, por preços razoáveis. Dá a impressão de que tudo é feito na China ou na Índia e que não dura mais que uma temporada. Comecei a ter a sensação de que, se quero continuar a vestir-me como "antes", vou ter que desembolsar cada vez mais dinheiro, pois ao parecer a diferenciação custará caro. E se é para comprar tanto trapo, melhor ficar com minhas poucas e boas roupas, muitas das quais têm já vários anos e são bastante "clássicas", no sentido de que não são o último grito em moda, mas fazem-me sentir muito bem. Será realmente que a cada dia estaremos mais e mais sujeitos a escolher entre "dar os olhos da cara" por uma boa roupa ou andar na moda vestida de trapos da cabeça aos pés? (Ah! Entre os "trapos" aos quais me refiro se incluem acessórios, cintos, bolsas, sapatos...) A quantidade de porcaria que vejo nas mais renomadas lojas, não está no gibi. A Zara, por exemplo, ou a H&M, que se encontram na principal e mais cara rua de Oviedo, cidade em que moro, não têm nunca nada que me agrade! Ah! Devo dizer que encontrei o que queria, finalmente, no EL CORTE FIEL: Um conjunto de calça a blazer pretos, sóbrios e elegantes, que atendiam perfeitamente ao que eu buscava.
    Beijos!
    Helga

    ResponderExcluir